Rua Senador Vergueiro, n 14, Pensão Monat

“No fim de setembro de 1905, surge na Pensão Monat um elegante rapaz de dezessete anos, alto, louro, desempenado e garboso em sua apertada farda de cadete da Escola Militar. De São Paulo, aonde fora em rápida viagem, trouxera um pacote de livros para D. Lucinda, sua tia materna, que estava no salão em companhia de S’aninha. Feitas as apresentações, a esposa de Euclides, desde logo perturbada com a atraente presença do rapaz, faz-lhe várias perguntas. Sabe-se, então, que o cadete Dilermando de Assis, órfão recente, mora numa fortaleza, perto da Escola Militar, em condições de grande desconforto. Dá-lhe conselhos: não deveria sacrificar a saúde. A pensão Monat era ótima e barata. Podia morar ai, entre pessoas amigas.”

“Contava, então, dezessete anos e nenhum mal se me afigurava ir naquela decisão, pois via ali a casa de uma parente e de uma amiga de minha mãe, e nunca a de meu desconhecido, dr. Euclides da Cunha, cujo nem ouvia falar. Jamais imaginara desse passo me adviesse tanta desventura nem no que poderia degenerar.”

img-20160925-wa0003

Sobre o livro: Conta a trágica história de amor vivida entre Anna da Cunha, esposa de Euclides da Cunha, e Dilermando de Assis, jovem que iniciava uma brilhante carreira militar. Aos dezessete anos, Dilermando, que morava em São Paulo, em viagem ao Rio de Janeiro, levava uma encomenda a pedido da sua tia para entregar na Pensão Monat. Esse pequeno desvio de trajeto mudou os rumos de muitas vidas. É uma história intensa, apaixonante. O livro escrito por Jeferson de Andrade foi baseado em documentos e no depoimento da filha de Ana e Dilermando, Judith Ribeiro de Assis.

Uma resposta para “Rua Senador Vergueiro, n 14, Pensão Monat”

  1. Felipe carvalho disse:

    A leitura parece ser bem atraente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Que tal se cadastrar para receber os novos textos assim que publicados?