Dia Mundia de Combate ao Câncer

0001-13-Logo-Combate-Ao-Cancer-VerticalEnquanto a Medicina avança, a complexa doença conhecida por câncer avança também, desafia a Ciência e faz milhares de vítimas no mundo inteiro. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os casos da doença aumentaram nos últimos quinze anos cerca de 31 por cento, que teria como fatores o envelhecimento da população e dificuldades no SUS.

Há algum tempo quem era acometido por esse mal procurava esconder e não tocar no assunto, que era um tabu. Hoje as pessoas parecem estar mais dispostas a assumir que estão em tratamento e a levarem a vida normalmente; acho até que quando isso acontece, elas se sentem mais fortes.

Um documento aprovado em 4 de fevereiro do ano 2000, em Paris, chamado Carta de Paris, apela para a aliança entre Governos, profissionais, parceiros e pessoas que passam pelo problema para que divulguem e despertem a atenção para a doença, que pode ter cura se descoberta no início, o que acontece em cerca de 40 por cento dos casos.

Quem não conhece alguém que enfrentou ou enfrenta o problema? Quem não tem ou não teve alguém na família nessa situação? Ah….quem teve sabe que toda a família adoece, sofremos todos os dias. Cresci vendo isso, como se fosse um filme em que as cenas pareciam se repetir. Parentes próximos, distantes, pessoas jovens, mãe, irmã da mãe….enfim, olhando para essa maldita tenho a impressão que ela me levou pessoas queridas. Mas eu também não fiquei de fora dessa estatística. No penúltimo dia de 2010 descobri um tumor no reto, sim…o que fiz para ter justamente naquele lugar? Para minha surpresa fiquei confiante e até brinquei algumas vezes com a situação. E, para minha sorte, estava no inicio, era um tumor que respondia bem, tive a oportunidade de me tratar em um excelente centro e de ser acolhida por pessoas que me fizeram muito bem. Eu tinha de 80 a 90 por cento de chances de cura, mas cura de verdade. Ouvir isso do meu médico era maravilhoso!

Claro que a Medicina não é exata e precisamos ficar vigilantes, principalmente nos primeiros anos. Eu já estou há seis anos sem nenhuma evidência e espero continuar assim. Com o tempo a gente acaba até esquecendo e descuidando, pois o espaço para os exames vai ficando maior. Perdi pessoas, mas também algumas sobreviveram. Além disso, descobri que os tantos casos de ovário na família são resultado de mutações nos genes BRCA1 e BRCA2, confirmado por um exame que fiz ano passado. Sou candidata a mais esse? Talvez, pois pode ser que eu nunca tenha. Mas estou tento a oportunidade de não passar pelo sofrimento que abate toda a família. Basta eu criar coragem para fazer a cirurgia que, no meu caso, é super indicada.

Gente, eu sobrevivi, conheço pessoas que tiveram a mesma sorte, mas vamos ficar atentos a qualquer sinal, pois o câncer mata muito, é a segunda doença que mais mata no mundo. Muitas vezes não da sinais ou pode dar uns tão rotineiros, como uma azia, uma dor, um peso nas pernas….algo imperceptível que jamais chame a atenção. Ao primeiro sinal vá ao médico, não se importe se vão te achar hipocondríaco, essa simples atitude pode te salvar. A vida é linda!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Que tal se cadastrar para receber os novos textos assim que publicados?